SEO para Sites e Blog, SEo para Google, SEO Técnico, SEO para loja Virtual, SEO on-page, SEO off-page, mobile SEO, SEO local, SEO para o YouTube, SEO para o Bing, SEO Middleman, SEO para Sex Shop e Conteúdo Adulto, SEO para E-A-T, SEO para Google Play e Apple Store
A influência do marketing digital nas vendas
A influência do marketing digital nas vendas

A influência do marketing digital nas vendas

A Prada, sediada em Milão, a empresa de luxo administrada conjuntamente por marido e mulher, Miuccia Prada e Patrizio Bertelli, mudou a estratégia para se concentrar em vendas online, lojas e produtos. Essas mudanças foram “visíveis e apoiadas por sinais positivos do mercado”, disse o presidente do conselho, Carlo Mazzi. “O mix de produtos é o certo.”

 

Mazzi disse que a marca está trabalhando para “se adaptar aos tempos que mudam rapidamente e interpretar o espírito das novas gerações sem perder de vista nossas raízes”.

Os fãs de bolsas Prada tendem a ter duas coisas em comum, relata a Vogue: “uma apreciação pelo intelectualismo no design e um desejo de usá-lo de uma forma artística, mas ainda bonita”.

 

A diretora de criação Miuccia Prada “é conhecida por sua capacidade de adivinhar o futuro da moda e de lançar tendências de força sísmica que se propagam pela indústria com efeitos impressionantes – e duradouros”, acrescenta o pub.

 

Os produtos renovados da marca apresentam uma personalidade mais casual, incluindo uma coleção de tênis do icônico tecido de náilon preto da Prada e uma reedição de sua linha Linea Rossa reconhecível por seu logotipo vermelho.

 

Grande parte do retorno da Prada ao crescimento se deve a um mercado chinês florescente e robusto, que levou o fornecedor de acessórios de luxo a relançar seus produtos mais icônicos para uma nova geração de consumidores, incluindo bolsas de nylon, sapatos de salto alto e histórias em quadrinhos imagens e a impressão da banana. E a marca está focada na China, uma vez que atrai blogueiros de moda influentes.

 

As lojas estão sendo reformadas e frequentemente transferidas para bairros mais modernos, e a Prada lançou 36 lojas pop-up. Quanto ao futuro, Bertelli disse recentemente que sua família manterá sua participação de 80% no maior grupo de bens de luxo da Itália e disse que seu filho Lorenzo pode um dia dirigir a empresa. Fundada em 1913, a Prada continua sendo aquela raça rara e duradoura onde o controle rígido, a extravagância da família fundadora e um olhar duradouro para a moda e as aspirações do consumidor se combinam para preservar um legado de marca de luxo.

Estratégias do Marketing Digital da Prada

A marca de luxo italiana está repensando sua estratégia de negócios, embarcando em uma revisão ousada de sua oferta digital que inclui colaborações de marca, parcerias de comércio eletrônico e campanhas online dedicadas. A Prada é há muito tempo uma das favoritas dos especialistas em moda, seu desfile sazonal em Milão é considerado uma espécie de peregrinação para compradores e editores em todo o mundo.

 

Mas a ampla rede de distribuição de varejo da marca, os preços elevados e a relutância inicial em vender online significam que os aplausos da indústria nem sempre se traduzem em um fluxo de caixa saudável.

 

Em março, a empresa registrou uma queda de 17,6 por cento no lucro líquido, que caiu para 205 milhões de euros, em seu exercício encerrado em 31 de dezembro. Ela também registrou uma queda de 10 por cento no lucro operacional de 324 milhões de euros, ficando aquém das expectativas dos analistas de 378 milhões de euros, enviando suas ações para baixo em 11 por cento no dia, a maior queda em um dia desde setembro de 2017.

 

Isso, combinado com cinco anos de lucros decrescentes, fez com que a grife italiana repensasse drasticamente sua estratégia, mapeando uma série de movimentos de negócios ousados ​​que espera ajudar a se proteger contra as flutuações do mercado de luxo, em uma era onde o digital está rei.

 

Historicamente, a Prada demorou a se adaptar ao mercado de luxo online. A marca só fez sua estreia online no Net-a-Porter há três anos e, embora tenha se expandido para outros varejistas online como Matchesfashion.com e Mytheresa.com, seus esforços não foram suficientes para igualar as vendas de seus pares no mercado de luxo como Louis Vuitton e Gucci, que relataram crescimento em seus negócios.

 

A Prada finalmente parece pronta para um empurrão maior. A partir deste mês, os produtos Prada e Miu Miu serão vendidos na plataforma de luxo chinesa Secoo. A Prada também foi a primeira parceira de marca para o lançamento do comércio eletrônico da publicação de streetwear Highsnobiety. Ela ofereceu sua linha Linea Rossa no Highsnobiety.com com exclusividade – um sinal de que a empresa agora está mais aberta para experimentar e se tornar séria em relação ao digital e alcançar um novo consumidor, seja na China ou nas comunidades jovens de streetwear.

 

“Está claro que a transformação digital alterou radicalmente o relacionamento com os consumidores, tornando-os cada vez mais cientes de suas escolhas de compra”, disse Patrizio Bertelli, presidente-executivo da Prada, em comunicado sobre os resultados da empresa.

 

“Neste contexto, a comunicação assume uma importância ainda mais crucial para chegar de forma eficaz aos nossos clientes”, acrescentou. “Com esse objetivo em mente, continuaremos investindo em todos os nossos ativos digitais para criar uma experiência de marca cada vez mais envolvente, com um envolvimento único e envolvente em todos os pontos de contato”.

 

Essas intenções também foram destacadas no novo plano de longo prazo da marca para campanhas especiais, a última das quais foi criada pelo artista internacional chinês Cao Fei e apresenta Cai Xukun, uma megastar C-pop, que tem mais de 22 milhões de seguidores no Weibo.

 

No mesmo espírito de experimentação, o grupo está repensando sua estratégia de atacado e planejando reduzir sua rede de varejo, especialmente quando se trata de parceiros físicos. Seu objetivo final é estar em uma posição melhor para oferecer aos clientes níveis de preços consistentes em canais físicos e digitais.

 

“A crescente complexidade e fragmentação do mercado atacadista” e o desejo de ser “transparente” com os consumidores é o que levou a empresa a esta decisão, disse uma porta-voz da Prada em telefonema com jornalistas após a divulgação de seus resultados financeiros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *