SEO para Sites e Blog, SEo para Google, SEO Técnico, SEO para loja Virtual, SEO on-page, SEO off-page, mobile SEO, SEO local, SEO para o YouTube, SEO para o Bing, SEO Middleman, SEO para Sex Shop e Conteúdo Adulto, SEO para E-A-T, SEO para Google Play e Apple Store
8 aprendizados de 2021 sobre diversidade, equidade e inclusão
8 aprendizados de 2021 sobre diversidade, equidade e inclusão

8 aprendizados de 2021 sobre diversidade, equidade e inclusão

No Brasil, falar de diversidade e inclusão é algo que extrapola a ideia de nicho. 87% dos brasileiros dizem pertencer a um grupo politicamente minorizado,1 com diferentes expressões culturais, de gênero, raça e cor. Entender a pluralidade e as reais necessidades da nossa população é também ser capaz de conversar com mais pessoas e de forma mais genuína.

E com a chegada de um novo ano, refletimos sobre nossa jornada e contribuições que deixamos para as marcas, agências, companhias e, principalmente, para as pessoas. Neste artigo, reunimos os aprendizados sobre diversidade e inclusão, e mostramos como tiramos as estratégias do papel e contribuímos para que a pluralidade seja um foco permanente no marketing.

Confira os nossos 8 artigos essenciais sobre D&I em 2021 que irão ajudar você a trazer mais diversidade e inclusão para suas estratégias:

1. Mais que um nicho: o que as buscas por maquiagem feitas por mulheres negras nos mostram?

No Brasil, metade das mulheres compra maquiagem para pele preta ou parda.2 Mas o mercado, muitas vezes, não oferece a elas uma experiência pensada em suas necessidades estéticas, como mostra o estudo Peles Negras do Google, que procurou entender quais são as principais buscas e dificuldades das mulheres brasileiras na hora de comprar itens de maquiagem e skincare para peles negras.

Olhando para esse dado, como criar um plano de comunicação para uma marca do setor de beleza sem pensar em mais de 60 milhões de potenciais consumidoras?3 Neste artigo, alguns dados ajudam a descobrir um caminho de representatividade e entendimento das reais necessidades dessas mulheres.

2. Tendências de comportamento de mulheres: a busca por liberdade em seus corpos, carreiras e rotinas

A busca das mulheres por seus desejos de consumo, aspirações profissionais e liberdade de seus corpos vai além da estética. É o que mostramos neste artigo que traz um panorama geral sobre o comportamento feminino.

Há muito espaço para a beleza livre de padrões. Cada vez mais mulheres falam em autoaceitação e, nessa esteira, vemos crescer novas tendências. A transição capilar é uma das buscas que registrou um importante salto nos últimos cinco anos.

A barriga negativa cedeu espaço para o body positive. Nada de dietas milagrosas ou exercícios extenuantes em busca de um corpo dito perfeito. No lugar disso, há mais espaço para se amar como se é. Para mostrar como novas tendências surgiram no horizonte da mulher mãedona de casa e que trabalha, reunimos neste artigo alguns dados e tendências de comportamento.

3. Quais são as preocupações de quem cuida? Estudo mostra o que famílias buscam para os seus filhos

Os contextos e as preocupações dos pais estão em constante mudança, assim como o próprio conceito de família está sendo redefinido no Brasil. Sua marca sabe conversar com essa nova família brasileira? Com o estudo Parenting 2021, investigamos as principais preocupações das pessoas que cuidam de filhos de 7 a 12 anos em 2021.

O padrão heteroparental de famílias ainda é maioria, mas os dados da pesquisa revelam novos formatos de criação, como o solo, com participação dos avós e entre famílias homoparentais, por exemplo. No Brasil, 68% da criação dos filhos sem um dos pais ou com ajuda dos avós é feita exclusivamente por mulheres.4

Pensando nesses números, seu negócio está pronto para conversar com essas famílias? Está aí um espaço de oportunidade.5 Por onde começar? Neste artigo você encontra algumas respostas e outros insights.

4. Como pensamos em equidade racial para além do 20 de novembro?

Olhando para nossa própria atuação, também reforçamos a necessidade do nosso trabalho ir além das sazonalidades para dialogar com diferentes parcelas dos brasileiros. Neste artigo, mostramos como o marketing do Google materializa o compromisso com a equidade racial.

Em 2020, depois de desenvolvermos a campanha da Semana do Afroempreendedor, nos questionamos: como ir além da conscientização sobre equidade racial no mercado de trabalho? O que poderíamos oferecer de mais concreto à população negra? A partir daí desenvolvemos, com ajuda do Cresça com o Google, uma mentoria que lembra por que carreiras pretas importam.

Mais que uma celebração, o projeto tem a intenção de sensibilizar as pessoas brancas e oferecer algo potente às pessoas negras.

Com essa visão, nos debruçamos na construção de uma campanha, sem um prazo de validade, com foco no mês das Consciências Negras — data que passamos a nos referir no plural, porque nos pareceu um contrassenso falar em uma consciência, apenas, em um país com mais de 56% de pessoas negras. Foi então que nos propusemos a fazer algo para a população negra, buscando valorizar sua ancestralidade, em tom de celebração e história, aproximando o contato da comunidade com suas próprias raízes.

5. Visibilidade trans: como ampliar o diálogo sobre diversidade e inclusão

Com objetivo de construir uma jornada de diálogo sobre diversidade e inclusão de pessoas trans, a equipe do Google se questionou: se pretendemos ser úteis para todos, o que podemos oferecer de concreto para essas pessoas?

A primeira proposta veio em 2019, quando promovemos a campanha #ConviverTransforma: Juntos na busca pela visibilidade trans. Elegemos informação, representatividade e afeto como temas-chave para dar mais visibilidade para a população trans.

Usar os nossos canais como potencializadores das vivências pessoais impulsiona um ecossistema de geração de empatia.

Em 2021, com a pandemia, a campanha foi dividida em duas frentes: uma com foco em dados e informação, e outra, em visibilidade. O Google Trends lançou uma central de insights dedicada ao Dia da Visibilidade Trans, onde vemos números e gráficos sobre os temas mais relevantes para o movimento, como a busca por direitos, o interesse por personalidades trans e os desafios enfrentados pela comunidade no Brasil. O material reúne alguns dos termos mais buscados desde que o Dia da Visibilidade Trans foi instituído, em 2004.

6. Como a diversidade pode tornar sua comunicação mais eficiente

Entender a diversidade e a inclusão como um dos pilares de sustentação de campanhas e iniciativas mais assertivas é o primeiro passo para o sucesso. Isso porque ser capaz de enxergar a pluralidade é fundamental para pensar e criar contemplando todos e todas.

Mas, mesmo com esse conhecimento, muitos anunciantes têm dificuldade para dar o passo seguinte e transcender a posição de “eterno aprendiz“. Na nossa visão, comprovar a efetividade de campanhas que trazem a diversidade pode ser um poderoso argumento para tirar as marcas da inércia e levá-las a dar o primeiro passo. Mas como fazer isso?

A intencionalidade deve permear todas as escolhas do processo criativo. Caso contrário, a comunicação pode acabar perpetuando os mesmos hábitos. Pensando nisso, procure nos dados respostas sobre o que pessoas de diferentes interseccionalidades buscam consumir na hora de se conectar com as marcas.

Neste artigo, você encontra 3 passos para alcançar uma comunicação mais eficiente do ponto de vista da diversidade.

7. Eficiência criativa e diversidade: uma combinação que traz resultados

Mostrar que seu negócio entende e se interessa pelas necessidades dos consumidores se tornou um passo fundamental para destacar a intencionalidade das iniciativas. E é enxergando a diversidade de consumidores que sua marca pode descobrir que criar anúncios com mais pluralidade tem um significado maior do que apenas fazer o bem:

Os dados desse artigo ilustram o quanto as pessoas buscam consumir e se conectar com as marcas. Você deve se perguntar como conversar com seu público. A resposta está na diversificação dos assets.

8. Criadores e marcas: como falar com propriedade sobre diversidade e inclusão?

E como produzir campanhas realmente mais plurais? Neste artigo mostramos como criadores e marcas podem cocriar estratégias de comunicação com mais pluralidade. A partir do projeto Play de Verdade — uma iniciativa do Google em parceria com a produtora Dia Estúdio para ampliar o debate sobre inclusão e equidade —, compartilhamos aprendizados e estratégias para transformar a percepção de marca entre os grupos politicamente minorizados.

Sempre produzi conteúdo pensando em transformar a realidade. Com o YouTube pude impactar mais pessoas.

A ideia tem sido mostrar pessoas diversas ocupando, de fato, lugares diversos, ao mesmo tempo que se reforça o conceito de que “só é de verdade quando tem diversidade”. E o projeto tem feito isso de diversas formas.

Não à toa, o foco do Play de Verdade está na valorização do conteúdo dos Criadores que ampliam histórias reais capazes de representar o público de forma positiva e verdadeira. E o resultado disso é bom para as pessoas e para os negócios: ampliando importantes discussões e transformando a percepção sobre sua marca.

Para além do discurso, a diversidade acontece na prática

Sabemos que negócios e agências podem estar em estágios diferentes de maturidade quando o assunto é D&I. E dar o primeiro passo pode trazer insegurança. Ainda assim, os dados mostram que marcas mais plurais e inclusivas têm resultados melhores. Por isso, ao unir esforços, replanejar as estratégias e usar ferramentas e dados eficientes, sua agência ou marca pode ir muito além do discurso. Vamos repensar caminhos para uma atuação mais diversa e inclusiva em 2022?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *